FICHA TÉCNICA

Carbono Alterado de Richard Morgan | Resenha | Acervo do LeitorCARBONO ALTERADO #1
Autor: Richard Morgan
Ano de Lançamento: 2017
Nº de páginas: 490
Editora Bertrand
Compre aqui: Amazon


SINOPSE

No século XXV, a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual para de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-militar de elite, após sua última morte, tem sua consciência transportada a Bay City, a antiga São Francisco, e é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata. Isso só para descobrir que seu contratante é a própria vítima, que voltou à vida em um novo corpo, mas sem as memórias do crime. Mal sabe Kovacs, porém, que essa investigação irá lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.


RESENHA – CARBONO ALTERADO

O que o futuro nos reserva? Viagens interplanetárias? Colônias humanas espalhadas por toda galáxia? Drogas que promovem “invencibilidade”? Implantes cibernéticos? Quem sabe a imortalidade? Essa obra é um vislumbre de tudo que o tempo pode nos reservar, onde a inteligência é abundante mas o caráter é escasso. Um retrato perturbador do que está por vir. Se habilita para essa jornada?

Carbono Alterado de Richard Morgan | Resenha | Acervo do Leitor

“Kadmin tinha se libertado das percepções convencionais do físico. Numa era anterior, ele teria sido um xamã; aqui, os séculos de tecnologia o haviam transformado em algo mais. Um demônio eletrônico, um espírito maligno que habitava o carbono alterado e emergia apenas para possuir carne e semear o caos. ”

Estamos na Terra do século XXV. Séculos de avanço da ciência e tecnologia propiciaram o inimaginável: a imortalidade. Com a quantidade certa de dinheiro você pode ter seu “eu” armazenado em um banco de dados com a possibilidade de ser “baixado” (download) em qualquer “capa” (corpo) que você possa pagar. Agora, alem da prestação da casa e outras contas, existem a prestação das “capas”. Afinal quem não quer um clone seu ou um outro corpo, até mais jovem, bonito, saudável e quem sabe de outro sexo, de reserva caso aconteça algo inesperado com você? Se sua conta bancária for gorda o bastante, sua vida será longa. Nesse cenário existem os “Matusas” (de Matusalém da Bíblia que viveu mais de 900 anos), pessoas que já viveram séculos demais, que se acham acima do bem e do mal capazes de moldar a realidade a seu bel prazer. Visto por muitos como dinossauros que merecem a extinção, são alvos de inveja e constante ataques. E um desses “Matusas” é o magnata Laurens Bancroft, recém “encapado” a polícia afirma que ele se matou em sua última vida, ele duvida, mas não consegue provar o contrário… até trazer Takeshi Kovacs, um ex-emissário da ONU, da morte.

Carbono Alterado de Richard Morgan | Resenha | Acervo do Leitor“A vida nas ruas tem certa mesmice. Em todos os mundos em que já estive, os mesmos padrões subjacentes se estabelecem, burburinho e ostentação, compra e venda, como se fossem uma essência destilada do comportamento humano vazando por baixo de qualquer que fosse a máquina política do alto. ”

Takeshi Kovacs está de volta. Ele é mais conhecido como o Lev Mamba, Lacerador ou Pica-Gelo. Depois de estar na “geladeira” cumprindo sentença por diversos crimes ele volta a ativa. Debaixo de um contrato que garante a vida dele por apenas 6 semanas, ele é obrigado a solucionar um crime já encerrado pela polícia: o suicídio, ou assassinato, do “Matusa” Bancroft. Vindo de um planeta bem diferente da Terra, o Mundo de Harlan, Kovacs terá que enfrentar fantasmas do passado, a polícia do presente, e assassinos do futuro, além de uma esposa sedutora e infiel e a igreja católica apenas para saciar a curiosidade de um ricaço, ou teria muito mais em jogo? Sexo, drogas, violência e uma dose de Blues pelos becos de Bay City completam a jornada misteriosa de um crime não solucionável.

Carbono Alterado de Richard Morgan | Resenha | Acervo do Leitor“Ainda de joelhos, eu a vi morrer com claridade química (…) A cama se foi primeiro, irrompendo em erupções de plumas brancas de ganso e pano rasgado, e Sarah foi logo atrás, pega na tempestade enquanto se virava. Vi uma perna ser destroçada abaixo do joelho, depois os tiros atingiram o torso, arrancando punhados ensanguentados de carne do flanco pálido enquanto ela caía em meio à cortina de fogo. ”


SENTENÇA

Imagina um quadro com tantos elementos e cores que saltam aos olhos pela beleza mas confunde os sentidos devido a tanta informação. Richard Morgan (autor) nos apresenta sua visão de um futuro bem palpável e assustador. Mas insere tantas nuances e detalhes, por vezes desnecessários, que chega a confundir e cansar. Há também uma quebra de “ritmo” na história. Um começo alucinante, um meio morno, e um aquecimento bem para o final, o que não me deixou sentir exatamente a “pegada” do livro. Acrescente cenas de sexo explicitamente pesadas, ao meu ver desnecessárias, e constrangedoras. Um livro difícil de avaliar. Sem dúvida uma boa e rica obra, acredito que muitos vão amar, tinha tudo para dar certo, mas não “funcionou” bem comigo. Não consegui me envolver com personagem algum alem de achar que a trama se arrastou no final. Talvez eu devesse vestir outra “capa” para apreciar um pouco mais este livro, porem, enquanto isso ainda não é possível, esse meu “eu” achou essa obra com uma premissa bem instigante, mas com uma execução apenas mediana.

Comentários

Comentários