FICHA TÉCNICA

O Pistoleiro - A Torre Negra #1 de Stephen King | ResenhaO Pistoleiro – A Torre Negra #1
Autor: Stephen King
Ano de Lançamento: Abril/2012
Nº de páginas: 224
Editora: Suma de Letras
Compre na Amazon: http://amzn.to/2typsUx


SINOPSE

Roland Deschain é o ultimo dos pistoleiros de seu mundo. Seu objetivo é a busca obstinada pela Torre Negra, dita como o eixo de todo o tempo e espaço. Acreditando que um mago, apelidado de “Homem de Preto”, possui indicações para seu destino, o pistoleiro o persegue deserto afora. Pelo caminho, Roland passa por inúmeros perigos e conhece Jake, um menino que foi transportado para o mundo de Roland depois de morrer na Nova York de 1977. O livro conclui com o Homem de Preto sendo alcançado e revelando fatos importantes sobre o destino de Roland e sua busca, tirando a sorte do pistoleiro através de cartas de tarô. São revelados: O Enforcado, O Marinheiro, O Prisioneiro, a Dama das Sombras e A Morte, A Torre, e a sétima carta, A Vida. É sobre a profecia dessas cartas que o próximo volume da saga se baseia, enquanto Roland progride em sua jornada.


RESENHA – O PISTOLEIRO

“O Homem de Preto fugia pelo deserto, e o pistoleiro ia atrás.”

Existe o passado, o futuro e o presente. O que ficou para trás não pode ser alterado, apenas lamentado ou comemorado. O por vir, alguns afirmam ser inexorável, mas na verdade está em aberto. O que importa na verdade realmente é o momento. Nossas atitudes são definidas pelo que passou e moldarão o que viveremos. Este livro é sobre um momento. O presente da vida do último Pistoleiro existente. Ele está em uma missão. Uma impossível caçada através de um mundo decrépito, desolado onde o filho chora e a mãe não escuta. Onde mortos falam e os vivos se calam. Demônios internos e externos ditam o ritmo da vida. Esse Pistoleiro está sempre atrás de um “homem de preto” que foge pelo deserto. E agora, você também irá caça-lo.

O Pistoleiro - A Torre Negra #1 de Stephen King | Resenha

“Não vou suplicar por minha vida, o que não significa que não a queira por mais algum tempo.”

Somos apresentados abruptamente ao enigmático Roland Deschain, o último Pistoleiro. Um caçador solitário atormentado por um misterioso passado. Ele está em uma jornada entre o bem e o mal, tanto em sua alma, quanto frente aos seus encontros em busca de um “homem de preto”. Atravessando um deserto pós-apocalíptico ele irá se deparar com corações partidos, almas perdidas e promessas de esperança na figura de um jovem perdido em meio ao caos. Mas um caçador que se prese não perde tempo com distrações, seu foco está apenas em sua presa, mesmo que isso signifique deixar tudo para trás… inclusive seu resto de “humanidade”.

O Pistoleiro - A Torre Negra #1 de Stephen King | Resenha“Ele ficou parado, gritando e recarregando, a mente ausente, longe, as mãos fazendo sozinhas seu truque de recarregar. Poderia erguer os braços, dizer às pessoas que passara mil anos aprendendo este truque e outros, falar dos revólveres e do sangue que os tinha consagrado? Não com a boca. Mas as mãos podiam contar sua própria história. ”

Somos também apresentados abruptamente ao enigmático “Homem de Preto”. Tendo o último, e mais mortal, dos Pistoleiros em seu encalço ele deixa dor e desolação por onde passa. Seria apenas uma alma distorcida? Um poderoso mago? Algum demônio? Ou apenas apenas o reflexo latente da pecaminosidade de nossos corações? O mal possui muitas formas, porem algumas são mais severas e assustadoras. Em breve nosso Pistoleiro vai descobrir quem é essa misteriosa figura e realmente porque precisa tanto elimina-lo. Mas para isso ele deve estar preparado para aguentar a verdade primeiro. E poucos homens possuem ombros “tão largos” para suporta-la.

O Pistoleiro - A Torre Negra #1 de Stephen King | Resenha“Deve existir verdade entre nós, como dois homens? Não como amigos, mas como iguais? É uma proposta que você raramente ouve, Roland. Só iguais falam a verdade, é assim que penso. Amigos e amantes mentem sem parar, presos na teia do respeito. Como é cansativo! ”


SENTENÇA

Tentei apreciar este livro de uma forma “correta”, apenas como um primeiro volume de uma possível série. Sem saber sua dimensão exata. Não como alguém que já sabe toda a dimensão da obra completa e o status que ela alcançaria no “futuro”, e fiquei impressionado. Uma história sem começo e sem fim exatos, apenas retratando um momento na vida de um personagem em sua caçada com alguns breves, mas importantes “flashbacks”, é uma empreitada no mínimo ousada. Mas Stephen King não ganhou sua coroa de rei usurpando ninguém, a fez por merecer. Com muito cuidado e estilo ele vai te guinando de forma segura e revelando todos os “tesouros” escondidos e não revelados ao longo da trama. Respondendo e levantando questões na hora certa. Misturando diferentes estilos como uma pseudo-distopia, suspense, uma dose de terror e flertando com Magia, King nos presenteia com uma obra pequena em dimensões mas enorme em sua profundidade. Denso e sofisticado. Sem dúvida me proporcionou longos dias e belas noites de leitura, pena que foram tão poucas.

Comentários

Comentários