FICHA TÉCNICA

InsurreiçãoO Último dos Guardiões – Insurreição
Autor: João Paulo Silveira
Ano de Lançamento: 2015
Nº de páginas: 368
Editora: Novo Século
Compre Aqui


SINOPSE

Um Reino em paz… A sociedade é governada por um conselho igualitário… As guerras há muito tempo terminaram… Mas quando a cobiça pelo poder fala mais alto… Eclode uma batalha sangrenta, como nenhuma outra antes.Uma guerra que durara vinte anos fora vencida por um feitiço arcano, libertando um mal hediondo na terra. Milhares de vidas foram sacrificadas para que a ânsia de poder de alguns fosse saciada. Uma cidadela fora erigida para treinar novos guerreiros e fazer frente à ameaça.
Após anos de batalha um guardião veterano acredita que poderá enfim deixar a frente de batalha, mas um acordo doentio destrói suas esperanças.
Conseguirá este guardião se reerguer, combater o poder instituído e ainda ajudar seu povo a erradicar os exércitos infernais?


RESENHA – INSURREIÇÃO

Não há nada mais prazeroso do que mergulhar nas páginas de um livro, este brinquedo feito com letras. E poucas leituras nos proporcionam tanta diversão como uma boa Fantasia. Histórias cheias de ação, magia, batalhas, seres infernais, amor e redenção. Essa obra é um convite a esse encanto. É a história da vida de um homem que carrega o peso de uma família, um clã e um reino sobre seus largos ombros. Esmagado pelo dever e por tristezas do passado ele tem um sonho e uma missão a cumprir. Qualquer um cederia em seu lugar, mas ele não é um homem qualquer, ele é um Guardião… e o último.

O Último dos Guardiões - Insurreição“A inspiração divina fala em nossos corações. Não espere conselhos de outros que também os buscam.

Existe um frágil equilíbrio que sustenta o reino. Quatro clãs que formam uma união perfeita. Formados por quatro castas divididas entre combate, defesa, magia e cura que sustentam a humanidade em harmonia. Mas não há nada mais forte e infinito que a ganância humana. O desejo por terras e ouro devasta a paz. Clã contra clã, homem contra homem. O ódio que cega a todos abre olhos que não deveriam ser despertos. Uma antiga força demoníaca é conjurada para acabar com a guerra. Almas são vendidas, pactos são selados a lua se tona vermelha e sangra. Demônios e mortos voltam a andar e a humanidade quase encontra seu fim. Em meio a lágrimas, uma sombra e resquício do que foram as castas protetoras se reunem para a construção de uma Cidadela que se torna o último baluarte da humanidade. Em meio a esse triste episódio da história, uma casta sofreu mais que todas, a casta responsável pela defesa do reino, a casta dos Guardiões. Sobrou apenas uma criança prometida. Um homem que mudaria o mundo, sobrou apelas Galaniel.

O Último dos Guardiões - Insurreição“Eu sou a ponta da espada,
A magia que transcende,
A aura que repara,
O escudo que defende.”

O tempo passou e Galaniel não é mais o mesmo. Apegado a solidão, tristeza e um bom vinho tinto ele é uma sombra do que já foi. Outrora um Guardião respeitado, agora vive pelas tavernas e pelas tabelas. Há algo que ele não aceita: o armistício feito entre a humanidade e os demônios as custas de um sacrifício humano de cinco vidas a cada cinco anos para aplacar os desejos das sombras. Dos sacrifícios brotaram feriadas que o tempo não consegue curar. Galaniel estava quieto, mas não estava morto. Uma família de vendedores entra em sua vida para trazer o que estava quase esquecido por ele, esperança. O afeto e o brilho nos olhos de uma criança trouxeram batimentos ao coração de guerreiro ferido. Mas não há paz que dure onde impera covardia. E mais uma vez ele se vê impotente diante dos homens que possuem o coração mais negro do que o dos demônios. Mais uma pessoa que ele ama é tirada de sua vida… mas agora Galaniel chegou ao seu limite. O tinto do vinho que outrora o consumia agora pulsa em suas veias cheias de ódio. É melhor morrer em pé do que viver de joelhos. Galaniel está cansado de covardes e de demônios. É tempo de restituição. Tempo de tomar o que foi perdido, honra, coragem e vidas, mas para isso ele precisa contar com seu antigo bando, Os Oito. Eles estão chegando, e a pohada vai comer para geral!

O Último dos Guardiões - Insurreição“Com o tempo verá que nenhuma morte é gloriosa, meu amigo. Morte é apenas morte e se você puder, deve escolher bem o momento, pois cada vida tem seu valor e não devemos nos entregar à morte levianamente.”


SENTENÇA

João Paulo nos entrega uma obra “clássica” de Fantasia. Clássico não quer dizer datado, sim eterno. Confesso que estava sentindo falta do heroísmo e altruísmo que banham essas páginas. Muitos escritores na ânsia de escreverem apenas sobre personagens “cinzentos” acabam borrando mais a história que deixando-as reais. Aqui temos uma realidade e certeza de caráter que, infelizmente, está em extinção em nosso dias. Galaniel chega chutando a porta, derrubando demônios e roubando nossos corações. Com uma escrita segura e ágil o autor não perde tempo com floreios, corta logo a carne e entrega um livro conciso, muito divertido e rico em detalhes. O primeiro volume da série “O Último dos Guardiões” foi um dos últimos livros que li este ano mas com certeza figurará entre os primeiros que indicarei.

Comentários

Comentários