FICHA TÉCNICA

Os Doze (A Passagem #2) de Justin Cronin | Resenha | Acervo do LeitorOS DOZE
Autor: Justin Cronin
Ano de Lançamento: 2013
Nº de páginas: 592
Editora Arqueiro
Compre aqui: Amazon


SINOPSE

Em A passagem, doze prisioneiros sentenciados à morte foram usados em um experimento militar que buscava criar o soldado invencível. Mas a experiência deu terrivelmente errado. Um vírus inoculado nas cobaias acabou com qualquer resquício de sua humanidade e elas fugiram, matando ou infectando qualquer um que cruzasse seu caminho. Os infectados se tornavam virais obedientes a seu criador, mais um de seus Muitos. No caos que se formou, a única chance de sobrevivência para a espécie humana eram fortificações altamente protegidas. Assim se formou a Primeira Colônia, um reduto a salvo dos virais, mas isolado do resto do mundo. Noventa e dois anos depois, uma andarilha surgiu às portas da Colônia. Era Amy Harper Bellafonte, a Garota de Lugar Nenhum, aquela que iria liderar um grupo de colonos e eliminar a cobaia número 1, Gilles Babcock, libertando seus Muitos. Agora, cinco anos após ter cruzado as Terras Escuras em busca de respostas e salvação, seu grupo está separado. Cada um seguiu seu caminho, mas seus destinos logo voltarão a se cruzar, num embate definitivo contra uma ameaça mortal. Fanning, o Zero, aquele que deu origem ao apocalipse, tem planos para refazer o grupo dos Doze e conta com um aliado poderoso, disposto a qualquer coisa em nome da própria imortalidade. Segundo livro da trilogia A passagem, Os Doze nos faz questionar a mente humana, os avanços científicos e a busca do poder que leva a uma certeza sombria de nossa capacidade para o mal. Mas, acima de tudo, ele reforça nossa esperança em uma humanidade que se adapta, sobrevive e não se rende.


RESENHA – OS DOZE

Em A Passagem, o primeiro volume da série pós-apocalíptica vampiresca de Justin Cronin, publicado em 2010, somos apresentados a um vírus que é disseminado a partir de doze prisioneiros, quando estes são cobaias de experimentos do governo e nisso resulta eventos catastróficos. Um “terremoto” de costa a costa repleto de predadores de mortos-vivos chamados “virais”. Um livro incrível, com personagens memoráveis e uma rica estrutura narrativa. Terror, drama, e suspense reunidos numa obra-prima. Será que em Os Doze o autor se supera?

Os Doze (A Passagem #2) de Justin Cronin | Resenha | Acervo do Leitor“Num mundo cercado por monstros, o inimigo mais cruel pode ser o próprio homem. “

Em Os Doze, Cronin retoma a história, entrelaçando personagens do “ano zero” (quando a infecção começou a espalhar) com períodos de idades diferentes, o livro inicia-se cinco anos após os acontecimentos de A Passagem e vai intercalando as passagens. Bandos de sobreviventes procuram por combustível, comida e proteção. Conhecemos a médica Lila, Kittridge, um veterano de guerra que ajuda a salvar um grupo de refugiados. Nós também estamos reunidos com Alicia, uma solitária tenente do exército e Amy, nossa heroína sobrenatural, que juntamente com os demais continuam a caçar os 12 originais.

Os Doze (A Passagem #2) de Justin Cronin | Resenha | Acervo do Leitor“Ali estavam todos eles, juntos de novo, os destinos atraídos como se por uma poderosa força gravitacional, como se fossem personagens numa história já escrita; só precisavam representar a trama. ”

Fiel à forma, Os Doze desempenha seu papel obediente como um livro do meio, levantando participações, oferecendo gatilhos da trama principal e fornecendo algumas resoluções, mas não todas obviamente. Ao final sabemos que estamos a um passo da jornada final, uma batalha de proporções épicas se aproxima e você sente o ar camuflado sobre o medo e a incerteza do futuro. Os Doze é um livro brutal e emocionante, grande destaque para a batalha épica deste livro, que nos faz simplesmente devorar as páginas.

Os Doze (A Passagem #2) de Justin Cronin | Resenha | Acervo do Leitor“A minha alma está entre os leões,
e eu estou entre aqueles que estão abrasados,
filhos dos homens, cujos dentes são lanças e flechas,
e a sua língua espada afiada. ”


SENTENÇA

Os Doze é uma continuação a altura de seu predecessor, com a mescla genial de novos personagens que enriquecem enormemente a trama, com os antigos, que mais uma vez roubam a cena, Cronin prova novamente sua capacidade de surpreender. Um livro que vai muito além de ser somente sobre Vampiros ou um mundo pós-apocalíptico, a história descreve como são os humanos e do que somos capazes de fazer em situações desesperadoras, mas além disso, Os Doze trata sobre a amizade e esperança. Justin Cronin é um mestre é você não pode deixar de conhecer sua obra!

Comentários

Comentários