Corações nas Sombras – Vol 1 : Presságios de Guerra
Autor: Allan Francis Salgado
Ano de Lançamento: 2016
Nº de Páginas: 736
Editora: Chiado


SINOPSE

Quando eu olhei através do passado eu finalmente compreendi o que você entenderá aos poucos. Ver a queda e extinção dos centauros por sua sede de poder foi apenas o estopim de algo maior, pois o mal que despertaram no mundo inferior (Agonia) embora selado por Círdan o elfo, desencadeou uma série de acontecimentos que narro para ti. Aquilo bastou para que Goldax o imortal que liderou os orcs por duzentos anos encontrasse um mestre que lhe prometeu libertar os orcs de seu exílio. Depois de sua derrocada, o dragão negro ressurgiu havido por poder e adoração, a ponto do rei dos dragões lhe temer. A Casa de Prata com intenções desconhecidas começou a roubar um a um os talismãs de Ifíanor. O mundo aos poucos começou a odiar os magos seus antigos benfeitores e uma mente brilhante surgiu com a finalidade de equilibrar as coisas, mas ele não sabia que seus atos acarretariam uma guerra sem fim. Então meu amor, meu confidente e meu amante, se lhe conto sobre o passado é para que você entenda o meu papel no presente e o porquê de termos nos separados. Escolhi nomear este relato de Corações nas Sombras e acredito que você entenderá o motivo.

 


RESENHA

Presságios de Guerra é o primeiro livro da saga Corações nas Sombras do autor brasileiro Allan Francis que têm já planejado outras 4 continuações, publicado em setembro deste ano pela editora portuguesa Chiado. A obra nos transporta para o mundo de Ifianor, local de magias, intrigas, guerra e criaturas místicas, tais como elfos, anões, orcs, demônios, dragões, goblins, entre outros.

“Quando Cirdan terminou o selo, apenas ele e outras quatro pessoas ainda estavam vivas… Uma raça inteira tinha sido praticamente extinta. ”

Ifianor é dividido em dois continentes: Primas e Pallas, que por sua vez abrange diversos reinos, entre eles o reino de Damatia, cuja figura governante recai sobre os ombros de sua rainha e seus exércitos, estes que são compostos pelas guerreiras do reino, em Damatia os homens não governam e tão pouco participam das principais decisões. Temos Lessália, reino dos elfos governado pelo orgulhoso e arrogante Tirdan, que acorrentado nas entranhas de seu ego, comum aos elfos governantes, mantém uma distância inapropriada aos outros reinos, tratando-os sempre com indiferença e inferioridade. Temos o isolado reino de Draconia, lar dos dragões comandado pelo poderoso Elegibur. E Dung-Dhar reino dos anões do norte, cuja liderança recai sobre o martelo poderoso e o orgulho feroz do assim considerado Deus por seu povo, Morghom. Há diversos outros reinos e cidades importantes, entre elas Abak, que será palco de um dos principais núcleos da história. Ao todo o mundo de ifianor é composto por 18 reinos e alguns outros pequenos reinos e principados.

Ifianor é um mundo complexo com suas diversidades de raças e culturas, para amenizar e tentar controlar os ânimos dos reinos mais exaltados foi criado o Alto Conselho, que por sua vez obteve autonomia em suas decisões a partir dos tratados de reinos e raças, assinados por seus respectivos governantes há aproximadamente 200 anos, quando acabou o que ficou conhecido como as Guerras Seculares e os orcs, demônios e grande parte das ameaças foram levados para Agonia e presos sob um poderoso selo de magia. O Alto Conselho é composto por várias cadeias de responsabilidades e decisões, todos os reinos são integrantes deste comitê, que têm sua liderança figurada no poderoso elfo Cirdan.

“A Guerra cobra seus maiores tributos dos mais inocentes”

Nossa história começa quando misteriosos atentados são realizados em diferentes partes do mundo, sejam eles proferidos na ilha de Sisam, onde um exército de orcs atacou a cidade e matou várias pessoas ou no castelo de Dankar, lar de um dos seis talismãs detentores de poderes extraordinários e guardado pela poderosa maga Selene. Outro ataque ocorreu nas montanhas de mercúrio onde um dragão negro de aspecto mortal aterrorizou e ceifou durante um ritual religioso. A partir daí temos as consequências destes ataques e a sombra de uma guerra pairando sobre os céus de Ifianor.

“ – No que estava pensando Itzanami?
– Como as coisas mudaram, como o destino nos joga de um lado para o outro como galhos de árvores em um vendaval… Bastou um dragão negro descer jorrando fogo que tudo que tinha se perdeu “

Acompanhamos o livro através de diversos pontos de vista, são vários personagens de variadas partes do mundo e com objetivos diferentes. Todos eles são muito bem trabalhados, e ao que à primeira vista pode denotar uma conotação simples e rasa na construção dos personagens, ao longo do livro é interessante acompanhar esta evolução, sublinhando as mudanças em suas personalidades e no modo de agir. Seja ele o forte guerreiro que ao longo do livro vai definhando em suas desconfianças ou na pobre moça que se sente insegura e com o decorrer dos eventos se torna um símbolo de poder e esperança.

O livro detém uma escrita bem simples e direta, por mais que seja um livro grande, com pouco mais de 730 páginas, não há prolixidade em demasia por parte do autor. Na obra encontramos bastante cenas de violência e algumas passagens com clara conotação sexual. A primeira parte do livro não me agradou muito, seja pela narrativa inicial ou pelas descrições das primeiras batalhas, que não me prenderam como esperava. Entretanto, há de se notar a evolução muito clara da história, principalmente a partir da segunda metade do livro. Todo o amarrar do enredo e o rumo a que ela se deu me cativou instantaneamente, as batalhas melhoraram consideravelmente assim como a clara e evidente evolução da narrativa, todos os personagens tiveram seus momentos no livro, naturalmente por haver diversos, sempre há aquele a qual você não simpatiza, da mesma forma que há outros que lhe farão acompanhar detidamente sua trajetória.

“Melkina fechou seus olhos e pronunciou algumas palavras. O olho de Selene voltou à cor normal, mas algumas escamas negras permaneceram. Selene sabia o que ela estava fazendo, quis gritar para que não fizesse aquilo, mas era tarde…”

Acredito que esta é a proposta da obra, ser mais minuciosa na primeira metade e mais explosiva e voraz na segunda. Mesmo sendo um livro grande que se não fosse por sua letra pequena, facilmente passaria a barreira das 1000 páginas, não me senti fadigado e cansado em nenhum momento. Os personagens te prendem na primeira metade, e a história, a tensão, as intrigas e as descobertas são o grande trunfo da segunda. O final é muito bom, beirando ao espetacular, amarrando muito bem as pontas soltas e criando outras novas ainda mais empolgantes.

Um ponto negativo são os erros de ortografia e alguns de diagramação e formatação encontrados ao longo do livro. O trabalho de revisão não foi apropriado e em contato com o autor ele se mostrou bastante descontente com estes elementos e já está providenciando suas efetivas correções.


SENTENÇA

Em suma Corações nas Sombras é um ótimo livro de literatura fantástica nacional, com uma história complexa e personagens muito bem construídos ao longo de um mundo gigantesco. É indicado para todos os amantes de Fantasia e até mesmo para aqueles que nunca se aventuraram no gênero.

ONDE COMPRAR:

Livraria Cultura: Clique AQUI
Easy Books: Clique AQUI
Travessa: Clique AQUI
Livrarias Curitiba: Clique AQUI

Comentários

Comentários