DIÁRIO DE UM EXORCISTA
Autores: Renato Siqueira e Luciano Milici
Ano de Lançamento: 2013
Nº de páginas: 256
Editora Generale/Évora
**********
SINOPSE
Desde muito jovem, Lucas é atormentado por inimigos sobrenaturais cruéis e impiedosos. Quando uma tragédia familiar inexplicável abala sua família, o menino desperta para a mais importante e desafiadora missão que um ser humano pode enfrentar, uma luta sem fim contra o inimigo maior do homem e de Deus: o próprio Diabo.
Passada nas décadas de 1950 e 1960, a história (baseada em fatos reais) do padre Lucas Vidal – um dos maiores exorcistas da América Latina – é contada em seus mais aterrorizantes e inacreditáveis detalhes. Do rigoroso e pouco ortodoxo treinamento às mais difíceis batalhas contra demônios, possessos e outras entidades sobrenaturais, a trajetória de Lucas e dos irmãos Biaggio contra seres profanos aterroriza o mais cético dos leitores que vai perceber, aos poucos, que além de as criaturas das trevas ganharem mais força a cada ataque, as mais perigosas têm um objetivo único: destruir os padres exorcistas.

**********
RESENHA
“Mal sabiam os rapazes que, naquele momento, com aquelas palavras, a estranha mulher não captada na câmera havia dado o melhor de todos os conselhos.
Infelizmente eles não deram ouvidos. “
Diário de um Exorcista, escrito por Renato Siqueira e Luciano Milici e lançado pela editora Évora/Generale em 2013, é um livro de terror nacional baseado em fatos reais que relata a vida e obra de um dos maiores exorcistas da América Latina. Para preservar a identidade e a privacidade dos envolvidos, todos os nomes contidos na narrativa são fictícios.
O livro é descrito em sua maior parte pelo padre Lucas Vidal através da narrativa em primeira pessoa, no início do livro acompanhamos dois jovens rapazes que em busca de um trabalho da faculdade, solicitam uma entrevista junto ao famoso exorcista. O tema obviamente seria o relato preciso de toda sua trajetória, passando pelas provações da infância, contendo tragédias familiares e visões demoníacas, até o ponto mais contundente de sua carreira.

“Mais vale ao diabo desviar de um homem de fé que carregar a alma de mil ímpios.“
A primeira metade do livro é rodeada de suspense, tensão e algumas boas reviravoltas, e é justamente onde se reside o melhor da obra. A parte descrita como a infância do Padre Vidal é absolutamente intrigante, a forma como o até então garoto vê o desenvolvimento do caos sendo estabelecido em sua família por uma presença misteriosa e demoníaca é de uma contundência pontual, você como leitor se sente fisgado para os temores daquela criança ao andar no meio da noite seguindo seu pai por uma rua escura, cercado por sombras e mistérios, ou pelo medo crescente se enraizando nas sombras daquela família simples e comum. O sobrenatural estava ali à espreita, não de forma fantasiosa como em muitas outras obras, mas de maneira praticamente natural.


“Passei a ver pessoas sendo acompanhadas por seres espirituais malignos o tempo todo. Muitas não conseguiam ver esses seres, outras, porém, conviviam com eles como se fossem conhecidos. “

O adendo negativo fica por parte da segunda metade do livro, mais próximo do fim todo o clima soturno e de apreensão desenvolvido foi se rompendo em soluções um tanto quanto fantasiosas demais, de maneira forçosa e tão inatural que não condiz com a ótima primeira metade da obra. Há ainda boas reviravoltas e o desfecho é bastante interessante, mas em certo ponto da narrativa, o livro “peca” por arremeter a crendices que poderia muito bem ficar delineadas no subconscientedo leitor e não exposto lucidamente como de fato ocorre.

“O mal me rondava novamente e isso, sim, era muito presente e palpável. Os pesadelos diziam isso e, pior, um estranho calafrio me acompanhava. Algo muito mais assustador e mortal do que eu havia presenciado em minha infância estava para ocorrer e os pesadelos eram apenas os arautos avisando que o exército das trevas estava chegando e era invencível. “
Em suma, o Diário de um Exorcista é um bom livro de terror, com alguns relatos assustadores de expurgação demoníaca, vide exorcismos. Que irá satisfazer a todos que procuram algo sobre o assunto, ao final fica a sensação de que poderia ter sido melhor trabalhado, principalmente a partir da segunda metade do livro e se tornado uma das grandes referências do gênero.

Vale ressaltar que há filme nacional baseado neste livro chamado: “Diário de um Exorcista: Zero”. A edição do livro está belíssima, contendo imagens do filme em alta definição e até mesmo um CD com trailer vêm anexado a obra.
*** OBS. Livro gentilmente cedido pela editora Évora em parceria com o Acervo do Leitor. ***

Comentários

Comentários