FICHA TÉCNICA

FEBRE VERMELHA
Autores: Francis Graciotto
Ano de Lançamento: 2016
Nº de páginas: 286
Editora Máquina de Escrever


SINOPSE

Um navio desgovernado encalha nas pedras em Praia Grande, com sua tripulação brutalmente assassinada em alto mar. Em pleno verão na Baixada Santista, a manchete nos jornais é vista com indiferença pela população, que está mais preocupada em curtir o feriado de ano novo. Em poucos dias, uma epidemia misteriosa se espalha pelo litoral, deixando seus infectados com uma febre ensandecedora, olhos vermelhos e fome insaciável. Ocorrências de extrema violência e canibalismo tornam-se cada vez mais comuns, e as autoridades não são capazes de lidar com o caos que domina as ruas e ameaça contagiar todo o país.
Com cenários reais em Santos, São Paulo e região, acompanhe a perigosa jornada de um grupo de sobreviventes, cada um com motivações e problemas pessoais, dispostos a fazer o que for preciso para sobreviver à Febre Vermelha.


RESENHA

Zumbis é um termo recorrente nos dias de hoje, filmes, séries, games e livros são abastecidos regularmente com o gênero. E em como toda grande emancipação ou exploração de terrenos já preenchidos, existe uma polarização enorme quanto à qualidade de suas respectivas obras. Os consumidores, sejam eles, cinéfilos, gamers ou leitores são exigentes, e não poderia ser diferente, nós como raça buscamos sempre o melhor e não nos contentamos com o pouco, está na essência humana. Sendo assim, você como autor iniciante, arriscar-se pelas veredas de um gênero já consolidado é de fato um passo bastante arriscado. A questão é: você acredita que possui uma boa história a ser contada? A certeza é nebulosa, requer avaliações externas, mas o fato de você como autor crer no fruto do seu trabalho, é o primeiro passo para materializar a obra e procurar a fidedignidade de sua criação.

“… rosnados e grunhidos de agitação ecoaram pelo subsolo e todos se levantaram, confirmando o que a garota temia: não eram absolutamente burros e individualistas, mas agiam em bando. “

Febre Vermelha escrito pelo autor brasileiro Francis Graciotto e lançado neste ano de 2016 é um livro de terror com uma pegada mais realista. O cenário se resume a Santos, por onde a praga se inicia, indo até alguns pontos da cidade de São Paulo. A história é contada através de vários protagonistas, como num filme os núcleos são trabalhados alternadamente, proporcionando uma dinâmica para a narrativa.

“O velho ergueu a cabeça e olhou para Diego como se somente então tivesse percebido de sua presença. O rapaz recuou assustado ao notar seus olhos. As escleróticas, parte branca ao redor da Íris, estavam completamente vermelhas, como se estivessem cobertas de sangue pisado. “

Em Santos às vésperas do fim do ano, comumente as pessoas viajam ao litoral em busca de paz e confraternização. Quando incidentes ocorrem em alguns pontos da cidade, o caos está instalado. Pessoas agindo de maneira agressiva e canibalesca, atacando outros semelhantes sem hesitação. Neste cenário de insegurança e medo, alianças um tanto quanto improváveis precisam serem feitas, não há mais classificação de gêneros ou classe econômica, todos são vítimas da incerteza do amanhã e precisam trabalharem juntas para alcançarem a sobrevivência. Gilbertoé um professor casado com Monique e pai de Maria Rita, juntos eles pretendem ter um raro tempo para família em Santos. Jorge, um lutador de Muay Thai e seu amigo Carlinhos levam uma vida indecente e pretendem fazer um último “trabalho” antes do encerramento do ano. Gustavoé um estudante que aproveita a viagem dos pais à Europa, para reunir os amigos em casa e se esbaldar nas bebidas e comemorações. Pietro, um ex-militar do exército com uma missão a ser cumprida. André, um pastor Pai de duas crianças e casado com Leticia, vítima de câncer. Formam o grupo de sobreviventes.

“Infectados pela Febre Vermelha aterrorizam a cidade de Santos. “

O livro é repleto de ação e terror. É notável a habilidade e o cuidado com que o autor teve ao dar relevância a todos os capítulos. Todos, sem exceção possui sua carga dramática e seus respectivos momentos de tensão. O ritmo é frenético, o virar de páginas é uma constante na ânsia de saber o que vem a seguir. O livro é dividido em 12 capítulos e 1 prólogo, todos enunciados pelo índice. A escrita é bem acessível e objetiva. O terror é brutal, sanguinário e realista. Os “zumbis” ou vítimas da Febre Vermelha, são em grande parte muito mais rápidos e espertos que os famigerados mortos-vivos de outros livros ou filmes. O interessante é a maneira com a qual trabalham em conjunto em determinados momentos, agindo como uma alcateia de lobos, em busca da caça.

“Infectados pela Febre Vermelha aterrorizam a cidade de Santos. “

Um dos pontos negativos do livro é a separação entre POV’s (pontos de vista) dos personagens. Num mesmo capítulo é natural ocorrer esta alternância, entretanto, não há nada que a indique, ela ocorre de maneira abrupta, o que causa em determinados momentos uma quebra de ritmo desnecessária. A edição está bem bacana, não me lembro de ter encontrado erros gramaticais ou de pontuação.


SENTENÇA

Febre Vermelha é um ótimo livro de terror nacional, mesmo que em seu cerne tenha um tema batido, o autor Francis conseguiu trazer um ambiente mais realista e explorou as reações e consequências trazidas pelo suposto vírus em pessoas comuns. Com muita ação e tensão, Febre Vermelha é uma excelente pedida para os amantes do Terror.

GOSTOU DA RESENHA? JÁ LEU O LIVRO? O QUE ACHOU? DEIXE NOS COMENTÁRIOS

Comentários

Comentários