FICHA TÉCNICA

A Sombra do VentoA SOMBRA DO VENTO
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Ano de Lançamento: Maio/17
Nº de páginas: 464
Editora: Suma de Letras
Link da Amazon: AQUI


SINOPSE

A Sombra do Vento – Barcelona, 1945. Daniel Sempere acorda na noite de seu aniversário de onze anos e percebe que já não se lembra do rosto da falecida mãe. Para consolá-lo, o pai leva o menino pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que Daniel descobre A sombra do vento, romance escrito por Julián Carax, que logo se torna seu autor favorito, sua obsessão. No entanto, quando começa a buscar outras obras do escritor, Daniel descobre que alguém anda destruindo sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que Carax já publicou, e que o que tem nas mãos pode muito bem ser o último volume sobrevivente. Junto com seu amigo Fermín, Daniel percorre a cidade, adentrando as ruelas e os segredos mais obscuros de Barcelona. Anos se passam e sua investigação inocente se transforma em uma trama de mistério, magia, loucura e assassinato. E o destino de seu autor favorito de repente parece intimamente conectado ao dele.


RESENHA – A SOMBRA DO VENTO

Muito mais que um ponto de venda, as livrarias são uma “experiência sensorial” e porta de entrada para uma nova dimensão. Há uma sensação única em estar no meio daquela ebulição de volumes, cores e cheiro. Cheiro de páginas novas, cheiro de expectativa do que se pode encontrar. É como caminhar em um jardim que te tira da solidão, a oportunidade de fazer amizade com todos aqueles autores que destilaram sua criatividade e memória nas prateleiras que agora acenam para você. Amizades para os momentos de alegria assim como tristeza. Quando suas lágrimas estiverem sendo derramadas haverá consolo e identificação nas palavras eternamente embalsamadas naqueles volumes por alguém que já passou pelas mesmas angústias, assim como sorrisos. Essa obra é sobre uma livraria e um livro específico, um suspense dramático entre um autor e seu leitor, sobre vida, morte e a esperança contida nas amareladas páginas de uma misteriosa obra esquecida.

A Sombra do Vento

“Este lugar é um mistério, Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que você vê, têm alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas páginas, seu espirito se expande e a pessoa se fortalece.”

Daniel tem apenas 10 anos. No auge da sua inocência, e com sua mente pronta para absorver o mundo como uma “esponja”, ele acaba conhecendo uma misteriosa livraria: “O Cemitério dos Livros Esquecidos”. Apresentada por seu pai, ele têm a incumbência de escolher um livro que te agrade e deve guardo-lo e protege-lo para sempre! Nosso pequeno protagonista acaba escolhendo um obscuro volume chamado “A Sombra do Vento”. Essa inusitada brincadeira leva Daniel a ficar fascinado pela obra e por seu autor Juilân Carax. Assim como qualquer leitor, ao término das incontáveis leituras ele desejou muito mais, mais livros e referências deste misterioso escritor, mas só encontrou interrogações. Mas nada é tão incansável quanto a curiosidade e perseverança de uma criança. A jornada de busca e de auto-descobrimento de Daniel está apenas começando.

A Sombra do Vento“Têm bobalhões por aí que acham que, se põem a mão na bunda de uma mulher e ela não reclama, já está no papo. Aprendizes. O coração da mulher é um labirinto de sutilezas que desafia a mente grosseira do homem trapaceiro. Para realmente possuir uma mulher, é preciso pensar como ela, e a primeira coisa a fazer é ganhar sua alma. O resto, o doce e fofo embrulho que nos faz perder os sentidos e a virtude, vêm por acréscimo.”

Daniel vai envelhecendo, assim como seu amor pelo seu livro escolhido na infância. Em toda sua jornada incessante para descobrir mais sobre o autor desta obra presenciamos o amadurecimento e o peso da vida especialmente em um Espanha em ebulição. Contando com poucos amigos e quase nenhum amor, ele precisa amadurecer antes de envelhecer. A sombra gerada pelo falecido autor Julian pesa em seus ombros. Em meio a encontros furtivos com o diabo, corações partidos, perseguições, amizades traídas e muitos livros lidos, Daniel vai desvendando os mistérios em torno das obras deste autor e sua vida. Seu pai havia dito para guardar o livro para a vida toda, mas ele não pensava que seria em seu coração e mente. Seguindo seus passos, e sendo seguido, ele acabada descobrindo que os livros podem ser o túmulo daqueles que não podem morrer.

A Sombra do Vento“As palavras com que envenenamos o coração de um filho, por mesquinharia ou por ignorância, ficam guardadas na memória e mais cedo ou mais tarde lhe queimam a alma.”


SENTENÇA

Esse livro é uma lenda. Mas eu não acreditava em lendas… até termina-lo. Alguns livros nos informam, outros nos entretem, mas pouquíssimos alimentam a alma. Através da escrita encantadora de Zafón, somos bombardeados, de maneira sutil e genial, com tanta informação e sabedoria que chega a espantar. Em meio a um suspense de tirar o fôlego somos guiados pelos meandros da mente e do coração em todas as fases da vida. Falar mais desse livro seria quase limita-lo, o que seria uma injustiça. O pai de Daniel (protagonista) disse que ele deveria escolher um livro e guardar para a vida inteira, e ele o fez. Carlos Ruiz Zafón, não nos disse isso quando escreveu esta obra, mas é exatamente isso que fazemos ao terminar de ler. Simplesmente inesquecível.

Comentários

Comentários